11/10/2012

Destaque para o autor: José de Alencar.

   
       Olá queridos!
     Hoje venho trazer uma nova coluna para o blog. Há algum tempo estava pensando em escrever uma coluna onde falasse um pouco dos autores; nós sempre exaltamos os livros e os personagens, então eu quis criar um espaço para falar um pouco dos autores que criam os livros e os personagens maravilhosos que tanto amamos.
     Nessa coluna falarei um pouco dos autores nacionais, estrangeiros; autores atuais e também dos clássicos.
     Para começar dou destaque hoje para um autor que adoro;) gosto muito das obras dele, do estilo de sua escrita e seus personagens. 
                                         
                                                JOSÉ DE ALENCAR.    
      Seu nome é José Martiniano de Alencar, ele nasceu em Messejana no Ceará no dia 1 de maio de 1829. Ele foi um jornalista, político, advogado, orador, crítico, polemista, romancista e dramaturgo brasileiro.
    Alencar é um autor que nos é apresentado na escola quando começamos a estudar o Romantismo, ele é o percursor dessa escola literária no Brasil. Sua obra é dividida em quatro tipos de romances: indianista, urbano, regionalista e histórico.
    O autor recebeu destaque na carreira literária com o romance "O Guarani" que alcançou grande sucesso e popularidade. Em sua obra Alencar destaca a cultura e os costumes da época em que viveu; e ao ler seus romances percebemos a evidência que o autor concede as tradições indígenas exaltando as raízes nacionais.
    Alencar relata com maestria a alta sociedade do Segundo reinado, critica a hipocrisia, ambição e desigualdade social que ocorria na Corte daquela época. 
    José de Alencar morreu aos 48 anos no Rio de Janeiro, em 12 de dezembro de 1877 vítima da tuberculose da qual sofria há anos.

  Principais obras:

Lucíola
   
Lucíola conta a história de um jovem de família tradicional que se apaixona por uma ex-prostituta.

                                                            O Tronco do Ipê 


     história tem como o cenário a Fazenda Nossa Senhora do boqueirão, na zona da mata fluminense. Um velho tronco de ipê, outrora frondoso, representa a decadência da fazenda. Bem próximo, numa cabana, mora o negro Benedito, espécie de feiticeiro, que guarda o segredo da família. Mário, o personagem central, que viveu desde criança na fazenda, juntamente com a amiga Alice, descobre que o pai da moça, Joaquim, é o assassino de seu pai. Desesperado, Mário tenta suicídio, pois não pode se casar com a filha de um assassino. Mas o negro Benedito o impede, contando-lhe o segredo: Joaquim não matou o pai de Mário. Ele foi tragado pelas águas do Boqueirão e está enterrado junto ao tronco do ipê. Mário reconcilia-se com a vida e casa-se com Alice.


O Guarani

No cenário monumental e selvagem do Brasil do século XVII, encontram-se Peri e Ceci para viver uma envolvente histíria de amor.


                                                                  Senhora
   Aurélia Camargo, filha de uma pobre costureira e órfã de pai, apaixonou-se por Fernando Seixas – homem ambicioso - a quem namorou. Este, porém, desfez a relação, movido pela vontade de se casar com uma moça rica, Adelaide Amaral, e pelo dote ao qual teria direito de receber. Passado algum tempo, Aurélia, já órfã de mãe também, recebe uma grande herança do avô e ascende socialmente.Passa, pois, a ser figura de destaque nos eventos da sociedade da época. Dividida entre o amor e o orgulho ferido, ela encarrega seu tutor e tio, Lemos, de negociar seu casamento com Fernando por um dote de cem contos de réis. O acordo realizado inclui, como uma de suas cláusulas, o desconhecimento da identidade da noiva por parte do contratado até as vésperas do casamento...


 E você, já leu algum romance de José de Alencar?
                



                



    
      
     


9 comentários:

  1. Simplesmente amei a estréia dessa coluna, principalmente porque adoro José de Alencar, foi por causa do seu livro Senhora que comecei a amar o mundo da leitura. Parabéns pela iniciativa!!!!

    ResponderExcluir
  2. Faço letras e nunca li nenhum livro do Alencar O.O
    Que VERGONHA rs.
    Mas sinto curiosidade de ler Luciola e Senhora!
    =)

    http://oceano-literario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a nova coluna, muito legal!
    Sinceramente, a maioria dos livros nacionais que li foi por causa do colegial e vestibular mesmo heheh
    Eu até acho a história legal, o problema mesmo é a escrita, demoro mais que o normal para ler =/
    Nunca tinha ouvido falar de Lucíola e O tronco do Ipê e os outros dois eu não li mas sei a história toda porque meus professores contavam várias vezes. Fico sem ânimo de ler depois que sei a história inteira =(

    ResponderExcluir
  4. Já li Lucíola e gostei MUITO. Ainda pretendo ler outros livros do José de Alencar. :)

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  5. Oi Rafa! Achei muito boa a coluna, é bom saber mais sobre os escritores. Eu nunca li nada dele, uma vergonha, mas começaria por Senhora.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Acho que nunca li nada de Jose de Alencar... É o tipo de leitura que nao me interessa muito... Prefiro coisas mais atuais e mais fantasiosas hehehe

    Gostei da coluna!

    Bjokas
    Flavia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
  7. Oii!
    José de Alencar é um escritor memorável e maravilhoso em suas obras. Li apenas Lucíola e Senhora, gostei bastante dos dois e adoraria poder ler todos os outros, assim que tiver oportunidade irei ler, rs.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Oie!

    ADORO José de Alencar, ele e Machado de Assis são os meus escritores brasileiros favoritos. As histórias dele podem ser um pouquinho absurdos no final, românticas demais, mas eu adoro, hahaha.

    Bjins

    www.dicasoutravessuras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Eu li Senhora e O Guarani nos tempos de escola (puxa como eu me senti velho agora dizendo essa frase) e lembro de gostar bastante, eu estou querendo relê-los, mas Senhora tem uma linguagem tão difícil, são muitos adjetivos que eu nunca vi na minha vida, fico me perguntando como diabos eu consegui ler aquele livro no ensino médio, deve ser porque naquele tempo eu não ligava muito em procurar o significado das palavras, mas eu já esperimentei reler o primeiro capítulo de O Guarani e a linguagem é bem mais simples, então passei ele na frente de Senhora.
    Abraços.

    http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante para mim, por isso não economize palavras; adoro saber sua opinião! Caso tenha um blog deixe o link para que eu possa retribuir seu comentário. :D
Beijos da Rafa!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. Voltar ao Topo