Trilha sonora literária!



  Hey, leitores! Tudo bem?

 Hoje o post é mais do que especial, já que o tema é música e música dentro da literatura; nada melhor do que unir duas coisas tão prazerosas. Já falei aqui que durante algumas leituras costumo ouvir músicas e combinar aquelas que mais se encaixam no clima e tema da história. 
 Quando o livro vem com sua própria trilha sonora ou playlist, tudo fica ainda melhor porque posso ler ouvindo as músicas escolhidos e ainda conferir se elas combinam mesmo com a trama e os personagens. O que eu mais gosto nas plalists é fato de que sempre que ouvimos as músicas novamente sempre nos fazem lembrar dos livros e das histórias.
  Por isso hoje trouxe para vocês a playlist de um livro muito querido e especial, Tudo por Você escrito pela autora Vivi Cordeiro é um romance sensual com uma história de amor de tirar o fôlego. E sua playlist não poderia ficar por menos, vem conferir essa seleção de músicas inspiradoras!

Yellow - Boy Avenue 



 Coisa mais linda essa música, amo demais! Sempre foi uma das minhas preferidas e faz parte da seleção de músicas que ouço sempre. :)

California Gurls - Katy Perry ft Snoop Dogg



Open Your Eyes - Snow Patrol



 Está aqui é uma queridinha que me acompanha sempre. Acho super linda essa música e combinou perfeitamente com a história! 

Diamonds - Rihanna




Just a Kiss - Lady Antebellum 



Fields of Gold - Sting 



Come away with me - Nora Jones



Royals - Lorde



Sirens - Pearl Jam



Vento no Litoral - Legião Urbana



Fix You - Coldplay 



Eu adoro as músicas do Coldplay e é sempre bom encontrá-las nas playlists literárias. Espero que tenham gostado da playlist de Tudo por Você, deu para perceber que o livro é super romântico, então aguardem que nos próximos dias a resenha estará aqui no blog para vocês conhecerem melhor o livro! :)

Beijos e até logo! 


A Libélula no Âmbar.

Autora: Diana Gabaldon
Editora: Saída de Emergência 
Páginas: 944
Gênero: Romance Histórico
Série: Outlander #02
Tradução: Geni Hirata
Avaliação:

         Skoob | Saraiva | Submarino | Extra

  Finalmente estou aqui para falar de A Libélula no Âmbar, quem acompanha o blog pelo Instagram sabe da minha saga com esse livro demorei meses para conseguir concluí-lo; 944 páginas exigem bastante tempo para ser lidas e os livros da Diana Gabaldon são cheios de detalhes, contexto histórico, e muito recheado de referências portanto exige mais foco e atenção. 
 A Libélula no Âmbar é o segundo livro da série Outlander, depois dos acontecimentos perturbadores de A Viajante do Tempo, Claire e Jamie desta vez têm um inimigo muito mais impiedoso pela frente; o futuro. Agora eles precisam lutar contra o tempo para tentar impedir que um catastrófico acontecimento histórico se concretize levando à ruína um povo inteiro. 
 A jornada é cheia de perigos, intrigas, conflitos e parece estar fadada ao fracasso além de que mudar os rumos do destino pode ser ainda mais arriscado. Entretanto, Claire e Jamie compartilham um grande motivo para ao menos tentar mudar os rumos da História, porém o forte sentimento que os uni pode não ser o suficiente para evitar a tragédia iminente.  
  - Sangue do meu sangue - murmurou ele - e ossos dos meus ossos. Você me carrega dentro de você, Claire, e não pode me abandonar, não importa o que aconteça. Você é minha, para sempre, quer queira ou não, quer me ame ou não. Minha, e eu não a deixarei partir. [...]" pág. 199

  A leitura desse livro já começou sendo difícil logo quando li a sinopse, essa sinopse é um "tapa na cara" para quem termina de ler o primeiro livro e está cheio de expectativas para o que a continuação reserva. Portanto, quem ainda não leu a série passe bem longe dessa sinopse. 
  A história começa com um salto de vinte anos e no ponto em que a trama se encontra alguns acontecimentos importantes ocorreram, o leitor vai tomando conhecimento deles aos poucos e isso foi uma das coisas que me irritou bastante e fez com que minha leitura se tornasse enfadonha em alguns momentos; levou bastante tempo para que a narrativa ganhasse ritmo e se tornasse mais ágil. No entanto, quando consegui engrenar na leitura e quando de fato as coisas começaram a esquentar devorei as páginas restantes.
  Diana Gabaldon tem uma escrita tão envolvente que você mergulha fundo na trama, se envolve intensamente com os personagens e acaba sofrendo junto com eles. Neste livro me vi quase com medo de virar as páginas por temor do que Claire e Jamie encontrariam no caminho; eles passam por tantas coisas que o leitor é constantemente surpreendido e a narrativa se torna imprevisível. 
 A forma como a Diana Gabaldon desenvolve a narrativa sempre me impressiona, ela faz uso tanto da narrativa em primeira pessoa quanto em terceira pessoa e passa de uma para outra de uma forma tão sutil, que o leitor quase não percebe a mudança acontecer. Neste segundo livro temos a narrativa em terceira pessoa com o foco em Roger Wakefield, um personagem de grande importância na trama e em primeira pessoa sob o ponto de vista da Claire, quando ela relembra sua trajetória nas Terras Altas da Escócia. 
 - Jamie... só quero estar onde você estiver. Nada mais." pág. 548

  O trabalho de pesquisa, todo o domínio da História escocesa, suas tradições, costumes e cultura, as passagens verídicas que se misturam com a ficção, todo esse contexto retratado na trama ainda conseguem me deixar admirada com o brilhantismo dessa autora. Ela consegue tirar o fôlego do leitor nos deixando totalmente apaixonados pelos seus personagens marcantes e pelo enredo tão impressionante. 
 O livro tem uma capa muito bonita bem condizente com a história, a diagramação é simples, mas satisfatória com letras em tamanho bom e páginas amarelas. Os capítulos são longos algo que não me agrada, isso torna a leitura bem mais lenta e cansativa. 
  A Libélula no Âmbar é uma leitura que desperta muitos sentimentos em quem lê é ao mesmo tempo emocionante e alucinante, cheio de romance e aventura que deixa você aflito pelo próximo livro. Se você gosta de romances atrelado a um rico conteúdo histórico e um cenário muito bem elaborado está é a série perfeita.   
                                                                                      

Montanha da Lua.




Autora: Mari Scotti
Editora: Independente 
Páginas: 251
Gênero: Romance de Época
Ano: 2015
Avaliação:

                Skoob || Amazon || Facebook


 Uma das coisas que mais me dá prazer é pegar uma obra para ler e não sentir vontade de largar a leitura, para mim isso é mais do que prova de quanto um autor é talentoso. Vocês sabem o quanto sou apaixonada por romances de época e quando recebi a proposta de ler Montanha da Lua a curiosidade me dominou, ora um livro de época escrito por uma autora nacional seria a minha primeira leitura com essa combinação e o que posso afirmar é que a Mari Scotti possuí um talento incrível que podemos perceber tanto na escrita quanto na criação da trama.
 Montanha da Lua narra a história de Octávio Hallinson Segundo, o duque de Bousquet, ele é um homem assombrado por uma maldição que recai sobre sua família há muitas gerações. Tal maldição atinge as esposas Hallinson's levando-as a morte logo no primeiro ano de casamento, dessa forma todo herdeiro Hallinson aprende desde cedo tudo sobre a maldição e a maneira de tentar esquivar-se dela. 
 Octávio já sofreu por conta dessa maldição, agora viúvo vive isolado da sociedade e se recusa a assumir seu título e as responsabilidades que provêm dele. Ao salvar Mical Nashgan de uma situação mortal na floresta próxima da Montanha da Lua, Octávio se vê tentado a reassumir sua posição e a obrigação de casar para assegurar um herdeiro ao seu ducado. 
  Porém, desta vez ele precisa fazer a coisa certa a fim de manter Mical segura e evitar a todo custo a tragédia que acompanha a família Hallinson. 

  
  Eu já li uma quantidade significativa de livros que me permite agora reconhecer quando um livro é realmente bom logo nas primeiras páginas lidas, e com Montanha da Lua foi assim. A escrita da Mari Scotti é extremamente instigante, consistente e envolve tanto o leitor que você se vê transportado para dentro da história tornando-o quase como um espectador ocular das situações narradas. 
  Neste livro temos personagens muito bem construídos e tão marcantes que ficam em sua mente mesmo depois de terminada a leitura. Octávio apresenta as principais características dos mocinhos de época, um homem intenso, misterioso cercado por uma aura de poder intimidante. 
  Mical é uma mulher à frente de sua época é decidida e segura de si tornou-se uma solteirona ao não aceitar se casar por dinheiro ou posses, Mical quer se casar por amor e por essa vontade enfrenta a tia e a sociedade. Essa é uma daquelas mocinhas de personalidade e opinião forte, e o que mais gostei na personagem foi sua sinceridade e o fato de não esconder os sentimentos, tenho pouca paciência para protagonistas inseguras.
  Os personagens secundários também se destacam na trama, em especial o tio de Mical que sempre a apoia e a trata como uma filha, além de Anthony o mordomo e amigo mais próximo de Octávio, que está sempre ao lado do duque e sempre o aconselha da melhor forma. 


  A narrativa é desenvolvida em primeira pessoa, assim temos a trama sob o ponto de vista da Mical e também do Octávio; eu particularmente gosto bastante desse recurso pois proporciona mais profundidade a história e amplia a visão do leitor em relação aos acontecimentos. Neste caso foi muito importante conhecer as emoções de Octávio para que possamos compreender melhor o domínio da maldição sobre sua vida. 
 A leitura flui muito bem, Montanha da Lua não é um livro muito longo, portanto as páginas voam e quando você se dá conta já está no final. A trama é bem movimentada temos muitos desencontros e conflitos que nos fazem ficar na torcida, confesso que desejei que o livro tivesse muito mais páginas, pois não queria deixar a província de Madascócia lugar onde a trama se passa. 
 Mari Scotti não perde em nada para os grandes nomes do gênero de época. Espero ter a oportunidade de ler muitos outros romances de época escritos por ela. 
 Montanha da Lua foi uma leitura mais do que especial, para os fãs do gênero é uma excelente dica nacional. Eu torço para que seja uma série, pois ainda estou bastante ávida pela família Hallinson! 

                               ebook cedido pela autora para resenha.

                           Adquira o seu Montanha da Lua no Amazon!
                                                                           

Um Estranho Perfeito.

Autora: Susan Fox
Editora: Única
Páginas:384
Gênero: Romance Contemporâneo
Tradução: Júlio de Andrade Filho
Série: Caribou Crossing #3
Avaliação:

              Skoob | Saraiva | Submarino | Extra

  Esta é a segunda série da Susan Fox que leio e mesmo com alguns altos e baixos em alguns livros gosto da escrita da autora e da forma como ela conduz a trama. Um Estranho Perfeito é o terceiro volume da série Caribou Crossing e narra a história de Brooke Kincaid, mãe do garotinho Evan que conhecemos no primeiro livro Um amor perfeito.
 Eu tive que modificar a ordem de leitura depois que soube que este livro narraria a história da Brooke, isso porque eu me apaixonei pelo Evan no primeiro livro e como o seu livro é o segundo com certeza depois de ler sua história eu abandonaria a série no segundo livro por conta da Brooke, mãe do garoto, pois a detestei logo no primeiro livro. 
 Espero que tenha dado para entender a minha lógica (maluca eu sei! rsrsrs); portanto, preferi ler primeiro o terceiro livro para depois ler o segundo, pois a história do Evan é bem marcante e a Brooke é parte fundamental nisso. 
  Aqui já se passaram muitos anos e Brooke é uma nova mulher, com uma vida mais estruturada, conquistou o respeito dos habitantes de Caribou Crossing e conseguiu também o perdão do filho que agora permite que ela esteja próxima da família. Brooke gosta da vida que leva agora, calma, ordenada e bastante pacata; ela precisa de estabilidade e paz para que nada saia do controle. 
 Contudo, sua vida calma  e estruturada é abalada quando um homem com pinta de bad boy destrói sua cerca com uma Harley - Davidson. Tudo que Jake Brannon não quer é colocar a vida de Brooke em perigo, mas ele precisa de sua ajuda e mesmo que ele queira se afastar, com a atração e o desejo que existe entre os dois resistir se torna cada vez mais difícil. 

[...] Brooke sabia que não estava pronta para o amor e sabia que ela e Jack eram totalmente inadequados um para o outro, então, como podia ter sido tão tola? [...]" pág. 286

  Mesmo sendo um livro de linguagem fácil, história sem grandes surpresas Um Estranho Perfeito foi uma leitura um pouco mais dificultosa para mim, primeiro porque precisei superar a minha rejeição pela protagonista da história e segundo porque a narrativa se mostrou bastante morna e parada o que me fez demorar bastante para engrenar na leitura. 
 Depois de superada as minhas diferenças com a mocinha da trama e de a narrativa mostrar um pouco mais de ação, a leitura começou a fluir melhor, e assim foi possível aproveitar as questões importantes levantadas pela autora dentro da narrativa; uma delas foi o processo de superação e cura da Brooke que apesar dos seus erros do passado conseguiu reconstruir sua vida e mostrou ser bastante forte e corajosa, o que realmente me surpreendeu. 
 Jake Brannon nosso protagonista não me causou grande impressão é um personagem legal, mas não foi tão cativante quanto eu esperava, mesmo assim ele e Brooke funcionaram muito bem juntos; os momentos românticos dos dois é muito fofo de acompanhar! 
  A narrativa é trabalhada em terceira pessoa e a autora consegue nos dar uma visão bem clara dos sentimentos, emoções, pensamentos e da evolução do relacionamento de Brooke e Jake. Temos as cenas mais quentes, entretanto nada é explícito ou narrado de maneira vulgar e excessiva, Susan Fox consegue dosar muito bem a sensualidade dessas cenas. 
  Assim como os livros anteriores a história se passa em Caribou Crossing e por ser uma cidade que vive da pecuária, a história tem estilo country e dá para sentir durante a leitura esse clima do campo, das fazendas de cidade pequena; a autora conseguiu retratar perfeitamente esse cenário de forma que o leitor é capaz de visualizar bem o contexto descrito.


  
  A capa é simples e o que eu mais gostei foi da lombada, adoro esse tom de rosa. A diagramação também não tem grandes detalhes, o que me incomodou um pouco foi o tamanho da letra que para mim é pequena e dificultou mais a leitura; as páginas são amarelas e os capítulos não são tão longos. 
  Apesar de ter sido uma leitura bem mediana, Um Estranho Perfeito tem seus momentos cativantes e passa uma linda mensagem de superação, força, segundas chances e recomeços.  Essa é uma leitura para quem gosta de histórias de amor com uma leve pitada de suspense e ação. 
                                                                        
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...