Belle.




          
     Belle foi o primeiro livro de autoria da Lesley Pearse que li e apesar de ter achado a sinopse pesada no início, a leitura me surpreendeu de forma positiva. 
      Achei que não fosse gostar da história, afinal prostituição não é um tema fácil de absorver, mas Lesley Pearse conseguiu me conquistar com sua forma sutil e ao mesmo tempo fiel de descrever as situações e narrar a história. 
     Belle poderia ser uma garota simples como qualquer outra de sua época, mas o fato de ser filha de uma ex-prostituta que mantém um prostíbulo, morar nele com sua mãe, as garotas que ganham a vida, e Mog a empregada da casa, e mesmo assim conservar sua inocência ao ponto de não compreender o que se passava em sua casa, a torna uma garota impressionante. 
    Ela vive no porão da Casa de Annie e só pode contar com o carinho, atenção e amor de Mog que a trata como se fosse sua própria filha. Belle é proibida de vagar pela casa depois das 5 horas.
   Então, quando ela se oferece para fazer a limpeza do quarto de Millie, uma das garotas de Annie e acaba adormecendo e consequentemente ficando presa no quarto e desobedecendo a ordem de sua mãe, Belle acaba presenciando um assassinato brutal e esse fato mudará o rumo de sua vida para sempre.
  Sendo a única testemunha desse crime, Belle se torna uma ameaça para o assassino que tem consciência de que a garota sabe mais do que deveria. Para se livrar da única prova que o incriminaria ele sequestra Belle e a venda para o mercado da prostituição na França.
  A garota doce e inocente que Belle foi agora está perdida para sempre, ela precisa aceitar o seu destino e buscar uma forma de continuar vivendo. Assim, cada vez mais longe de seu país, com saudades de Mog e de Jimmy, um garoto que se tornou seu único amigo, tudo o que a mantém firme é a esperança de um dia voltar para casa.
 (...) eles tiraram todas as coisas simples dela, o beijo de um namorado, seus sonhos de ter a loja de chapéus, de casar e ter filhos. Tudo apagado, nunca aconteceria, pois não haverá outro garoto como Jimmy cuidando dela daquele jeito especial mas inocente em que ele lhe disse que ela era a garota dos seus sonhos..."  pág. 164
 Belle exigiu muito controle do meu lado mais emotivo, com uma temática bem mais séria e com todas as situações que a protagonista precisa suportar, a leitura poderia ter me desagradado completamente não fosse a narrativa sensível e a forma envolvente como Lesley Pearse conta a história. 
 Quando li a sinopse já esperava um drama forte e estava preparada para o choque que em algum momento os acontecimentos poderiam me proporcionar, mas a forma como isso foi desenvolvido não me causou aversão a leitura e o enredo primorosamente construído pela autora me conquistou de vez. 
  A protagonista é uma mocinha forte, esperta e que cativa o leitor logo no inicio da trama fazendo com que a vontade de protegê-la seja intensa no decorrer de suas desventuras. 
  Belle é narrado em terceira pessoa com o foco centrado em nossa protagonista, mas em vários momentos da narrativa a autora direciona o olhar do leitor para algum dos personagens secundários que são importantes para o desenrolar da história. Assim, temos momentos onde acompanhamos a busca incansável e desesperada de Jimmy por Belle, bem como a dedicação comovente do jornalista Noah em seguir as pistas que podem levá-los até a garota. 
  A marcação do tempo dentro do enredo é um dos pontos que gostei na narrativa da Lesley Pearse, conseguimos perceber bem a passagem do tempo no decorrer da história, isso fez com que eu não me sentisse perdida ou tivesse a sensação de que muita coisa aconteceu em um espaço pequeno de tempo, como já aconteceu em outras leituras. 
 Mesmo com suas 560 páginas Belle é uma leitura rápida e fluída, pois a autora consegue prender a atenção do leitor de forma que ficamos curiosos, ávidos e envolvidos com o que irá acontecer em seguida com a protagonista. A história de Belle é ao mesmo tempo angustiante e emocionante, mas traz também momentos delicados como quando Belle conhece Etienne Carrera, um personagem que me despertou sentimentos divergentes. 
  O aspecto estético do livro é muito bonito, a capa é bem feminina com o título do livro em alto-relevo e textura macia com detalhes em verniz que faz com que Belle tenha uma das mais belas capas que já vi. A diagramação também é muito bem feita, páginas amareladas com letras em um bom tamanho e com cada capítulo decorado com o mesmo padrão de flores da capa, deixando o livro ainda mais charmoso. :)
  O desfecho da história foi satisfatório, mas não foi aquele pelo qual eu torci e esperava ansiosamente e isso me deixou um pouco frustrada. Mas, no geral Belle foi um dos poucos dramas que li e que conseguiu me conquistar (não tenho muito tolerância para esse gênero! hehehe). Para quem gosta de drama e leituras com temas mais inquietantes Belle é boa opção de leitura; prepare-se para se comover e se impressionar com a força de Belle.  

                                 
      

2 comentários:

  1. Se você gostou mesmo de Belle, te recomendo Roubada que tem uma história muito boa também. A Lesley sabe falar de assuntos pesados de uma forma tão leve que quando você vê o pior da cena já foi.
    Eu gostei do final, mas queria mais, ainda bem que ainda tem a continuação pra ler.

    Beijos
    www.leitoraincomum.com

    ResponderExcluir
  2. Rafa sua resenha ficou maravilhosa. Desde que esse livro foi lançado fiquei curiosa com o enredo e a diagramação foi um plus. Tenho ele na minha estante preciso ler. Vc despertou minha curiosidade.

    ResponderExcluir

O seu comentário é muito importante para mim, por isso não economize palavras; adoro saber sua opinião! Caso tenha um blog deixe o link para que eu possa retribuir seu comentário. :D
Beijos da Rafa!!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© FASCINADA POR HISTÓRIAS - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo